terça-feira, 18 de agosto de 2015

//IESB: Introdução ao Design (Trabalho Prático Nº 01)

Não comentei ainda aqui no blog anterior, mas este semestre, iniciei uma segunda graduação em Design Gráfico. Então, daqui em diante, algumas postagens serão referentes aos trabalhos que desenvolverei para o curso. Para começar:

Disciplina: Introdução ao Design
Trabalho Prático n.01
Objetivo: Criar um cartaz utilizando os recursos visuais que caracterizam o estilo Art Nouveau.
Tema: O Cerrado de Brasília
Formato: A4 vertical

Sobre Art Nouveau

Estilo artístico que se desenvolve entre 1890 e a Primeira Guerra Mundial (1914-1918) na Europa e nos Estados Unidos, espalhando-se para o resto do mundo, e que interessa mais de perto às Artes Aplicadas: arquitetura, artes decorativas, design, artes gráficas, mobiliário e outras. O termo tem origem na galeria parisiense L'Art Nouveau, aberta em 1895 pelo comerciante de arte e colecionador Siegfried Bing. O projeto de redecoração da casa de Bing por arquitetos e designers modernos é apresentado na Exposição Universal de Paris de 1900, Art Nouveau Bing, conferindo visibilidade e reconhecimento internacional ao movimento. A designação modern style, amplamente utilizada na França, reflete as raízes inglesas do novo estilo ornamental. O movimento social e estético inglês Arts and Crafts, liderado por William Morris (1834-1896), está nas origens do art nouveau ao atenuar as fronteiras entre belas-artes e artesanato pela valorização dos ofícios e trabalhos manuais, e pela recuperação do ideal de produção coletiva, segundo o modelo das guildas medievais. O art nouveau dialoga mais decididamente com a produção industrial em série. Os novos materiais do mundo moderno são amplamente utilizados (o ferro, o vidro e o cimento), assim como são valorizadas a lógica e a racionalidade das ciências e da engenharia. Nesse sentido, o estilo acompanha de perto os rastros da industrialização e o fortalecimento da burguesia.

O art nouveau se insere no coração da sociedade moderna, reagindo ao historicismo da Arte Acadêmica do século XIX e ao sentimentalismo e expressões líricas dos românticos, e visa adaptar-se à vida cotidiana, às mudanças sociais e ao ritmo acelerado da vida moderna. Mas sua adesão à lógica industrial e à sociedade de massas se dá pela subversão de certos princípios básicos à produção em série, que tende aos materiais industrializáveis e ao acabamento menos sofisticado. A "arte nova" revaloriza a beleza, colocando-a ao alcance de todos, pela articulação estreita entre arte e indústria.

A fonte de inspiração primeira dos artistas é a natureza, as linhas sinuosas e assimétricas das flores e animais. O movimento da linha assume o primeiro plano dos trabalhos, ditando os contornos das formas e o sentido da construção.


Sobre o Trabalho

Para a construção deste trabalho, busquei nos maravilhosos ipês de Brasília, o elemento principal para a minha composição. A partir de uma foto clicada por mim de um Ipê ao lado da Caixa Cultural, desenhei os primeiros traços do pôster, utilizando o Adobe Illustrator. Com todos os traços criados, comecei a aplicação da cores, utilizando o padrão cromático indicado no livro Design Retrô - 100 anos de design gráfico, de Jonathan Raimes e Lakshmi Bhaskaran, página 24. 

Para a parte textual, utilizei um poema encontrado na internet, no site Brasília Poética, de Luciano Brasil. Utilizando para o título, a fonte Rivanna com algumas adaptações feitas por mim e para a o texto, a fonte Trinigan.

Photo by Chris, The Red. Brasília-DF



Processo

Traços do Pôster

O Pôster
Red Kisses,

Chris, The Red


Postar um comentário