segunda-feira, 10 de agosto de 2009

A arte boêmia de Toulouse-Lautrec


Sempre fui um amante de cartazes. A idéia de transmitir uma mensagem em uma simples folha de papel sempre me deixou fascinado. Já postei aqui sobre Pierre Mendell. Hoje, quero postar sobre um outro importante artista que sempre me serviu de inspiração. O maravilhoso e boêmio Henri de Toulouse-Lautrec, ou, Henri Marie Raymond de Toulouse-Lautrec Monfa.

Seus cartazes, seus traços e seu estilo foram essenciais para a Art Nouveau. Utilizando poucas cores e muito vermelho, características de sua arte, ele conseguiu revolucionar o mercado publicitário da época por meio de cartazes e litografias excepcionais, cheias de movimento e beleza.

Lassitude (1896)

O contorno simples, sem nunca pintar por completo o traço forte do desenho e o uso, na maioria das vezes, do papel na cor amarela, são características fortes e presentes em suas obras.





Para quem é fanático por filmes, daqui a pouco, começa no telecine Cult, o filme Moulin Rouge (de 1952). O drama, estrelado por José Ferrer e Zsa Zsa Gabor, mostra momentos do artista Toulouse-Lautrec em suas freqüentes visitas ao Moulin Rouge, onde bebe seu conhaque, se inspira em cantoras e dançarinas para realizar seus quadros e acaba entrando num tórrido e conturbado relacionamento amoroso.

E para conhecer mais sobre a obra de Toulouse-Lautrec, visite o site do Musée d'Orsay.

Red Kisses,

Chris, (indo assistir Moulin Rouge)

Fonte: wikipedia, musée d'orsay, IMDB.
Postar um comentário