sexta-feira, 21 de março de 2014

//Algumas Palavras: And I Feel Like

Um dos melhores álbuns da Madonna está de aniversário: Like a Prayer. Lançado em em 21 de março de 1989, já vendeu mais de 15 milhões de cópias em todo o mundo. Considerado um marco na carreira da Madonna.  Alcançou o topo da Billboard e ficou 77 semanas na parada. O álbum é retrato musical da vida de Madonna. Grandes sucessos lembrados por todos até hoje, como Like a Prayer, Express Yourself e Cherish.

Em 2009, escrevi um artigo sobre o álbum na revista Madonna by MInsane. Segue o texto na íntegra abaixo. Para ler a revista completa, clique aqui.


4 minutes acabou de ficar para trás, uma voz masculina forte e eletrônica diz: And It feels like, it feels like home. Uma batida começa, mais forte e vai direto em nosso ser, não pede autorização nem quer saber se estamos preparados ou não. Ela já começa com dose de overdose extra em nossos cérebros, rasgando tímpanos e já é tarde pra fugir. 4 minutes foi apenas um aperitivo para o que viria a seguir. Os pés já não encontram o solo, pulando, brigando por espaço; as mãos também não param de socar o ar, como se quisessem mostrar que quem manda ali é aquela batida. Já não há mais fuga, foi só ouvir a primeira batida e ficamos presos por total, o poder nos invadiu.

Yes, I can feel the power, Oh, God. What the fuck is that? É Like a Prayer, um dos maiores sucessos da diva de todos os tempos, que neste ano de 2009 completa 20 anos mostrando que tem muito poder.

O estádio parece que vai vir abaixo com todo mundo pulando ao som da batida eletrizante de Like a Prayer. A música-oração de Madonna mexe com os nossos sentidos e prova que tem força para viver uma eternidade. Que 4 minutes que nada, Like a Prayer é que é o verdadeiro poder de Madonna. 

Há 20 anos, quando o álbum Like a Prayer foi lançado, o mundo se surpreendeu. Não apenas era o melhor álbum de Madonna até então, como também era um álbum maduro, de uma cantora que já não era mais virgem, mas mulher. Uma mulher que cantava a dor e a transformava. A transformava em música. E que buscava entender o mistério da vida e se deixava levar por aquela força interior que chamava pelo seu nome tão fortemente que não tinha como não se deixar envolver. O poder da voz daquela oração era muito forte. 

E não há nada tão forte como uma oração, como a fé que faz montanhas tremerem e se moverem, não há nada tão prazeroso e silencioso como uma oração que traz tudo à superfície e mostra toda a nossa face, todo o nosso coração. Like a Prayer é uma oração da primeira à última faixa, é Madonna pedindo a Ele, Aquele que está nos céus e que tem Nome Santo, pedindo de joelhos a salvação de todos os pecados, buscando a redenção. Buscando respostas e o resgate dos enlaces familiares, sentir-se em casa, a busca constante por sentir-se em casa, de Like a Prayer a Ray of Light (And I(it) feel(s) like a just go (home)).

Como uma oração que vai fundo pra superar todas as tragédias, decepções, dores, tristezas, orgulhos e traz à tona a alegria da vida. A oração que te faz renascer e, dançando sobre o túmulo, a criança retorna e ela já não pode ser machucada, não mais. A oração a fortaleceu, a fez a mulher dona de si, de sua voz iluminada, que se expressa e se faz ser ouvida pela música, pela melodia de quem não quer ser só mais uma voz materialista, vivendo em um mundo materialista e cresceu e hoje é forte. Tão forte que bastam algumas palavras (feels like home) e ela já invade todos que a ouvem. Like a prayer não é um álbum, é uma oração, uma oração de amor, de vida, de escolhas, de perdão e não nos deixeis cair em tentação, mas livrai-nos do Mal. Amém.




__________________________________________

Red Kisses,

Chris, The Red


Postar um comentário